segunda-feira, 24 de agosto de 2020

Cabra Cabriola



A Cabra Cabriola é um monstro do folclore brasileiro, popular na região Nordeste. Conhecida por ser uma Cabra grotesca de proporções avantajadas. Sua lenda talvez tenha surgido em Portugal, mas sua figura também aparece na Espanha. Chegou ao Brasil na época colonial.


Devoradora de crianças mal-criadas, a Cabra Cabriola é atraída principalmente por crianças que urinavam na cama, ela sente o cheiro de longe, e era assim que ficava na espreita das casas esperando alguma mal criação. Tem o nome de cabriola por correr dando saltos e piruetas.

Arte por Daniel Matui


A Cabriola tem os olhos vermelhos como brasas, cospe fogo de sua boca e solta fumaça pelas narinas. Seus dentes não são como os de uma cabra comum, possui presas tão afiadas quanto as de um Lobisomem, e fede como um bode pai de chiqueiro que é capaz de espantar até mesmo o pior dos gambás.

Alem de atacar pessoas que andavam por lugares escuros nas noites de sexta-feira, a Cabriola costumava invadir as casas de crianças mal criadas, ela fazia um buraco no teto, destelhando as casas ou arranhava as portas para oprimir as pessoas, anunciando sua temível chegada.




Na crença popular, antes dela atacar suas vítimas, cantava uma música que dizia assim:

Eu sou a cabra cabriola
Que como meninos aos pares
Também comerei a vós
Uns carochinhos de nada.

Sim, ela cantava, sua voz era grotesca e maléfica.

Quando se ouvia choro de criança nas noites de sexta-feira, acreditava ser a Cabriola devorando alguma criança, começava a rasgar o estômago dos birrentos com suas presas afiadas, que também eram estraçalhadas pelos cascos sujos e afiados.



Em histórias modernas e em muitas ilustrações, a Cabriola capturava algumas crianças em um saco (que mentira!), e levaria elas para transformar em sabão, mas isso é apenas uma variante do Velho do Saco ou talvez uma semelhança com o Krampus do Natal.



Diziam que para afastar a Cabra Cabriola era preciso rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria. Mas acredita-se que ela foi aparecendo bem menos devido a chegada da luz elétrica nas regiões afastadas.

Em alguns lugares, a Cabriola era tida como uma cabra que foi criada no inferno, e era enviada pelo Diabo para punir as crianças levadas, em outra versão ela seria o próprio tinhoso disfarçado.

Uma lenda Afro-brasileira mais antiga conta que a Cabriola pode ter sido um duende do mal que tomava a forma de uma cabra e costumava atacar as mães de recém nascidos quando estavam amamentando. Também apareciam no meio da noite para mamar nas mães que estavam dormindo, e depois devorar seus bebês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário