quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Símbolos e elementos do Natal



O Natal é a comemoração mais popular da atualidade, para os tempos modernos e a maioria das pessoas, é a celebração do nascimento de Jesus de Nazaré, mas o que nem todos sabem é que essa data especial surgiu há pelo menos 7 mil anos antes do nascimento de Cristo.

As antigas civilizações já celebravam o Solstício de inverno do hemisfério norte no planeta, quando o sol estava mais distante da terra, fazendo com quê as trevas e o frio dominassem a luz e o calor.

O nascimento de Jesus Cristo foi ressignificado pela Igreja Católica no século III para o dia 25 de Dezembro, a fim de estimular a conversão dos povos pagãos.

Os símbolos do Solstício de inverno (também conhecido como Yule pelos pagãos) são usados até hoje, conheça alguns deles com seu significado e origem, assim como também símbolos do Natal moderno e cristão:




Cores do Yule

Verde, Vermelho, Branco, Prateado e Dourado.

Verde representa o Carvalho.

Vermelho representa o Azevinho.

Branco representa a neve, e a pureza da esperada nova luz.

Prata representa a Lua

Dourado representa o Sol.


Azevinho e Carvalho




Em muitas tradições celtas, existe a lenda da batalha duradoura  entre o Rei do Carvalho e o Rei do Azevinho. Esses dois poderosos governantes lutam pela supremacia à medida que a Roda do Ano gira a cada estação. No Solstício de Inverno, ou Yule, o Rei Carvalho derrota o Rei Azevinho e reina até o Solstício de Verão. Quando o Solstício de Verão chega, o Rei do Azevinho  volta para a batalha e derrota o Rei Carvalho e assim sucessivamente.

Árvore de Natal




Um dos mais famosos símbolos é a Árvore de Natal ou Árvore de Yule era um pinheiro, onde na noite de 24 de Dezembro quando o sol estava mais afastado da terra, as famílias das aldeias se reuniam para fazer suas oferendas aos deuses e elementais, decorando os galhos com guirlandas, velas, castanhas, pinhas e muitos frutos. Tudo era amarrado como um pedido de ajuda, para que a luz vencesse as trevas, e a vida vencesse a morte por mais um ano.

Guirlandas



As primeiras guirlandas eram feitas com ramos de pinheiro ou sempre-vivas, adornadas com enfeites e frutas, e penduradas nas portas das casas ou nas Árvores de Yule, elas representam a roda do ano e o ciclo que se inicia e conclui a cada estação, e quanto mais enfeites, mais fartura ela irá gerar.

Sinos




Eram usados para honrar os elementais na manhã do dia 25 de Dezembro e tocados às noites do solstício para afugentar os demônios que viriam a emergir da escuridão.

Velas




Eram acesas em todas as casas e serviam também de decoração para os galhos de pinheiro, representado a luz que iria vencer as trevas,  assim como colocá-las nas janelas para que os viajantes não se perdessem nas noites frias e escuras do Solstício de Inverno.

Ceia




A ceia é a celebração do banquete com a família, com os alimentos que foram estocados antes da época difícil do inverno.

Bolas coloridas




As bolas que enfeitam as árvores de natal atualmente representam os frutos que os antigos pagãos usavam para enfeitar sua Árvore de Yule. Elas representam maçãs, castanhas e as oferendas que ficavam penduradas nos galhos eramos.

Boneco de Neve



Uma tradição muito antiga das crianças, que para brincar no inverno rigoroso, criavam bonecos modelando a neve, assim se tornaram muito populares como enfeites de natal nos dias de hoje.

Leia mais sobre eles clicando aqui

Presentes




Os presentes simbolizam a solidariedade e a caridade dos antigos pagãos, além de presentear os deuses, também presenteavam os mais necessitados das aldeias na época rigorosa do inverno.



Papai Noel



A lenda do Papai Noel é muito antiga, surgiu com os vikings para explicar as visitas do deus Odin a terra. Ele tinha uma carruagem voadora, puxada pelo seu cavalo de 8 patas, que nos tempos modernos foram substituídas por 8 renas, e era conhecido por assumir muitas formas e ter muitos nomes. Uma de suas formas mais conhecidas era a de um velho com uma longa barba branca e um capuz.



Ele viajava disfarçado assim entre os mortais, em busca de conhecimento e testando o caráter alheio.

Durante a noite do Yule, os vikings acreditavam que Odin corria pelos céus ventosos a noite, liderando seu bando de deuses, elfos, bestas e espíritos ancestrais em uma grande caçada contra os gigantes do gelo e as forças das trevas.

Essa corrida foi chamada de Caçada Selvagem (Wild Hunt)




Na versão cristã surgiu pela canonização de São Nicolau, o bispo turco que era solidário com as pessoas. Ajudava os necessitados em segredo, jogando sacos de ouro por suas chaminés.



O Papai Noel mais famoso que conhecemos hoje em dia, é descrito como um velhinho sorridente, gorducho de bochechas vermelhas, com uma longa barba e cabelos brancos, mora na Lapônia com a Mamãe Noel, e é acompanhado por centenas de Elfos Natalinos, que produzem muitos brinquedos.

Elfos Natalinos




São pequenas criaturas que acompanham o Papai Noel, descrito como pequenos duendes com sapatos pontudos e roupas coloridas, variando entre verde e vermelho. Para ler mais sobre eles, clique aqui.

Homem biscoito 




O Homem de biscoito  conseguiu ganhar vida na época de Yule e por isso ficou consagrado como um dos símbolos da época, tornando-se também um enfeite popular.

Leia mais sobre a lenda do pão de gengibre clicando aqui.

Meias



Antigas histórias nórdicas contam sobre crianças deixando palha e cenoura em suas botas como presente para Sleipnir, o cavalo de 8 patas de Odin, que estaria faminto recém-chegado da Caçada Selvagem. Em troca, eles encontravam suas botas cheias de presentes pela manhã. Talvez esta seja a origem das delícias modernas como bengalas doces para o Papai Noel e suas renas em troca de meias recheadas de presente (em forma de bota) junto à lareira.

Criou-se o costume principalmente das crianças europeias, deixar um par de meias na chaminé para ganhar presentes do Papai Noel, que descia na chaminé das casas para deixar presentes.

Renas




As renas são populares no Natal por que o Papai Noel tem um trenó que é puxado por 8 renas mágicas com o focinho vermelho. Estas são Renas encantadas, capazes de voar por todo o mundo.

Azevinho




As folhas verdes com frutinhas vermelhas que estão espalhadas por todos os lados nas decorações natalinas são o Azevinho, o arbusto de Natal que representa as cores da data, branco e vermelho. Era também uma das plantas usadas como adorno dos pagãos na festa do Solstício de Inverno. Serviam como oferenda ao deus Saturno. Foram introduzidas na tradição cristã e por isso se tornaram enfeites populares até hoje.



A lenda cristã conta que quando a Sagrada Família estava sendo perseguida pelos soldados, a Virgem Maria pediu proteção ao Azevinho, que os escondeu. Por essa bondade, Maria concedeu o dom dessa planta conversar-se para sempre, tornando-se assim um símbolo de imortalidade.

Krampus



O Demônio que aterroriza o natal, levando crianças malvadas para o inferno, leia a postagem sobre ele clicando aqui.

Símbolos Cristãos




Anjos



Os anjos no natal representam os anunciantes de Deus, notícias de bons tempos e boas novas para a casa onde está.

Estrela




As estrelas que ficam, no topo das Árvores de Natal modernas representam a Estrela de Belém, aquela que guiou o caminho dos Três Reis Magos para encontrar a Sagrada Família na Manjedoura. Para alguns ela foi uma ficção, para outros ela era um ovni. Ela é representada como um comenta ou tradicionalmente como uma estrela de 8 pontas.

Presépio





É uma das mais famosas representações cristãs do nascimento de Jesus na manjedoura. Presépio significa estábulo de animais, pois foi onde Jesus nasceu, cercado por ovelhas, cabras, cavalos e galinhas, já que seus pais não conseguiram nenhum lugar em hospedagens.

Três Reis Magos



Eram três sábios que foram avisados e instruídos pela Estrela de Belém até o nascimento de Jesus. Levaram presentes valiosos para o messias. Mirra, Ouro e incenso eram eles.


Coroa do Advento




A coroa do Advento é um adorno de ramos verdes como uma guirlanda, onde se colocam 4 velas para representar as semanas antes do nascimento de Jesus. Ela é exposta nas igrejas católicas Uma vela é acesa a cada semana.


Um comentário: