quarta-feira, 23 de maio de 2018

Órion



Órion: A constelação do caçador.

De acordo com a mitologia grega, Órion era um gigante caçador, filho de Poseidon, Deus dos mares e de uma Rainha Amazona chamada Euryale, a grande caçadora, de quem
herdou seu dom da caça e da super força.


Órion era orgulhoso, costumava caçar e matar todos os tipos de bestas e criaturas que viviam na terra, se orgulhava de tais feitos que vivia contando vantagens em todo tipo de diálogo que costumava ter com outros deuses e humanos.



Tinha um cachorro chamado Sirius que o acompanhava em suas aventuras.

Com seu ego imenso por se gabar que poderia matar qualquer criatura viva na terra, teve um castigo dos deuses em resposta a essa vaidade, pois um escorpião picou-o e o matou.



Em outra versão do mito de Órion, ele foi um mortal camponês que foi presenteado com dons mágicos por Poseidon, Zeus e Hermes. Assim, se tornou Órion, que poderia caminhar pelas águas
e tinha uma força maior que qualquer humano ou animal, se tornando um ferreiro habilidoso, construtor de palácios, muralhas e templos para os deuses do olimpo.

Ártemis ou Diana, deusa da lua e da caça.
Órion se tornou o companheiro favorito da deusa Ártemis, a deusa da lua e da caça, por quem se apaixonou e queria ganhar posse da donzela com violência, causando a ira de seu irmão
Apolo.



Em um dia observando o mar, Apolo avista Órion atravessando o oceano sozinho, e desafia Artemis acertar aquela 'coisa preta' que estaria atravessando as águas. Sem saber, Artemis
lança uma flecha que o atravessou, matando-o. Seu corpo foi levado pelas ondas até a areia, onde a deusa o avistou, percebendo seu erro fatal entre lágrimas, o enviou para o céu, colocando-o
entre as estrelas como homenagem.



Em outra versão desse conto, Apolo teria enviado o escorpião para matar Órion, pois estaria preocupado com a castidade de sua irmã.



Órion é uma das constelações mais vistas e conhecidas pelos humanos, é visível no céu durante os invernos do hemisferio norte. É representado como um caçador que ataca um touro com seu taco erguido, e facilmente reconhecido por seu cinturão brilhante de três estrelas. Além disso, seu ombro é marcado com a estrela gigante  Betelgeuse, e sua perna esquerda é marcada com outra estrela gigante chamada Rigel. De acordo com as versões do mito, Órion e Scorpius foram colocados em lados opostos no céu, de modo que nunca aparecem ao mesmo tempo.