sábado, 23 de abril de 2011

Cérbero





Cérbero na mitologia Greco-romana foi o cão de múltiplas cabeças, geralmente representado com apenas três, que guarda os portões do submundo (inferno, tártaro ou mundo dos mortos) para
evitar que os que passam pelo rio de Styx não voltem e escapem.


O cão Cérbero é destaque em varias obras de literatura e arte antiga e moderna, era filho de Echidina, uma mulher hibrida de metade humana, metade serpente, e Tifon, um pavoroso gigante que cuspia fogo de um modo extravagante que era temido até pelos deuses do olimpo.

 Às vezes o Cérbero é representado com uma juba de pelos, ou uma juba de serpentes assim como a Medusa, outras vezes também apresenta uma serpente no lugar da cauda.

Suas cabeças têm os significados nas historias dos gregos antigos, representam o Presente, Passado e Futuro, o Nascimento, Juventude e Velhice.  


Ele fica faminto nos portões do inferno, pois cada uma de suas cabeças de um apetite diferente, é o cão de guarda fiel ao deus do submundo Hades.


O Cérbero também foi um dos Doze trabalhos de Hercules, o herói teria que levá-lo de volta ao inferno sem morrer.


A cultura pop também traz seres que são semelhantes ao cão de três cabeças, bestas que são baseadas no Cérbero.
Em Harry Potter e a Pedra Filosofal: Fluffy (Fofo).


Coincidentemente um cão de ‘três’ cabeças aparece na ‘terceira’ fase do ‘terceiro’ jogo da saga Devil May Cry.

Nenhum comentário:

Postar um comentário