terça-feira, 29 de maio de 2018

Eridanus - O Rio



Eridanus é a maior constelação dos céus, que serpenteia de Órion até Cetus. Em sânscrito, é chamado de Srotaswini, que significa corrente, correnteza ou torrente. A constelação é associada ao mito grego de Phaeton, e geralmente representada como um rio que flui das águas derramadas por Aquário.

Em outra versão diferente da que é descrita na postagem da constelação de Cisne, Phaeton já teria conhecimento de que seu pai seria Apollo, o deus do Sol, e havia lhe pedido de presente uma carruagem celestial para que viajasse para o sol.



O deus Apollo sabendo que um mortal não poderia dirigir sua carruagem de fogo pelo céu não queria o presentear com isso, mas seu filho continuou implorando, que seria a única coisa que iria lhe pedir, e assim ele cedeu.



Phaeton não conseguiu controlar os cavalos, seu peso era mais leve que o de seu pai, causando uma tragédia que logo a carruagem cairia sobre a Terra (Gaia) não suportando as queimaduras, pediu ajuda a Zeus, que lançou um raio no condutor da carruagem sem saber quem era, derrubando-o no rio Eridanus.



Deixando uma trilha brilhante como uma estrela brilhante, o jovem foi recebido pelo rio, que o banhou sendo seu leito de morte, e logo depois como homenagem pelo deus do sol, foi colocado no céu como a maior constelação.



A constelação do rio Eridanus também foi associada ao Rio Nilo, e mais tarde passou a ser identificado como Rio Po na Itália por alguns autores gregos e latinos. 



O nome Eridanus vem de uma constelação babilônica antiga, conhecida como a Estrela de Eridu, a cidade natal do deus Enki ou Enki-Ea, o deus das águas doces e regente cósmico do Abismo ou como geralmente era representado pelos povos como um grande reservatório de água que ficava por baixo da Terra.